12 nov

Você já deve ter visto a imagem de uma flor de Lótus e ficou extremamente encantado com tamanha beleza. Porém é bastante provável que você não saiba a simbologia fantástica que está inerente a este deslumbre da natureza.

Associada a fatores e analogias transcendentais a lótus reluz e tem significados imensamente relevantes dentro das culturas orientais. A pureza, a verdade, a essência e a irradiação de forças provenientes de toda a sua exuberância, assim como do caminho que realiza até ter como ápice o florescimento, são fatores inspiradores e podem impulsionar comportamentos significativos de caráter relevantes para todos nós que estamos em busca de grandes realizações.

Todos estes predicados são relacionados à ela em virtude do meio de onde ela emerge. Ela está enraizada nos rios e lagos, mais precisamente em meio a lama e ainda assim ela floresce linda, com coloração leitosa e delicada, um deleite para os nossos sentidos e mais profundas percepções.

Nós vivemos em meio ao caos e diante deste fato somos, na grande maioria das vezes, sucumbidos por ele. Sofremos alterações do meio e ao invés de flutuarmos ilesos sobre um mar de distúrbios, incertezas, medos e inseguranças nós acabamos imersos nestas sensações.

Perceber e estarmos conscientes do TODO é premissa básica, contaminar-se com ele é falta de habilidade, é não dominar o poder de ressignificação ou mesmo não ter adquirido a competência de viver sabiamente em meio às interferências externas.

Consciência é filtro e, portanto, potência vital para não deixar-se enfraquecer perante ao meio. Estarmos plenamente conscientes de onde estamos e com quem convivemos, ou seja, fazer uma leitura coerente e fiel dos fatores externos é importante para vencermos qualquer possibilidade de inércia, adversidade ou embaraço.

É tão importante quanto esta leitura dos fatores externos sabermos o que queremos construir, quais são nossos objetivos e assumirmos a força que nos possibilitará criar  estratégias adequadas para atingi-los.

A Lótus ressignifica com maestria. Ela transmuta, ela revela toda a sua plenitude independente dos fatores externos além de estabelecer uma nova roupagem diante de tudo o que poderia estagná-la.

Portanto em suma somos essência e com sabedoria e consciência o resultado é um fato. Nada poderá ser usado como justificativa plausível ou desculpa para não atingir um objetivo pautado no uso correto das nossas habilidades e forças.

Nós somos o todo, somos a natureza divina e assim como a flor de Lótus temos poderes e forças suficientes para vencer diante de qualquer possível obstáculo, nós nos elevamos quando nos deparamos com o caos insuflados por cada uma das nossas virtudes.

Observe novamente uma imagem da Lótus, reflita sobre o caminho que ela realiza até florescer; quando anoitece suas pétalas se fecham e ela afunda. No dia seguinte, ao amanhecer ela emerge novamente, revelando toda a sua delicadeza e beleza sobre as águas.

Em meio ao caos reconecte-se com o seu interior, reconheça suas virtudes, potencialize-as. A lucidez, a coerência e a sensatez exigem autopercepção e consequente autoconhecimento.

Quando nos conhecemos e reconhecemos sabemos sempre o que fazer e como fazer.

Inspirar-se na natureza é sem sombra de dúvida um processo absolutamente efetivo, afetivo e funcional. É orgânico! Experimente, faça analogias e incorpore toda este poder motivacional à sua vida. AÇÃO, EMOÇÃO, SENSAÇÃO e LUZ!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X
Abrir chat
Posso te ajudar?
Olá, seja bem-vinda! Tem alguma dúvida ou quer saber mais sobre algum produto?